Este site é desenvolvido por entusiastas e admiradores do artista Silvio Santos e não possui nenhuma ligação com empresas do Grupo Silvio Santos.

29 de jan de 2011

A pulseira do Silvio Santos

Muito antes de existir a famigerada pulseira Power Balance, que anunciava e prometia melhoria no desempenho, rendimento e equilíbrio de atletas profissionais e depois assumiu publicamente que seus resultados não eram cientificamente comprovados, já havia aparecido uma porção de outras pulseiras com propriedades não demonstradas.

Muita gente, como o jornalista Flavio Gomes, lembrou da pulseira Sabona, de cobre, vendida nos anos 80.

Mas lembramos de outra. A pulseira hipo-alergênica e bio-elétrica Rayma, que é fabricada até hoje em Palma de Mallorca, e foi vista durante anos enfeitando o pulso direito de Silvio Santos. Aliás, acho que ele ainda a usa.



A pulseira Rayma vendeu milhões de unidades, sem contar as vendas de suas imitações e falsificações. Foi mesmo um sucesso e uma grande moda usar esses braceletes na época.

Era conhecida como pulseira da ansiedade, porque acalmava as pessoas, retirando as energias negativas do corpo.

Em 1992, Silvio Santos, aproveitando a presença de Baby Consuelo, perguntou à cantora sua opinião a respeito da sua pulseira, que acabara de ganhar. Ela era amiga do polêmico paranormal Thomas Green Morton (o homem do "rá") e sempre foi muito ligada em assuntos do mundo e de outros mundos.



Como você pode conferir no vídeo acima - exclusivo do Baú do Silvio - Baby explicou ao animador que se tratava de um bracelete astrológico do Yogananda (!), mas o guru indiano não tem nada a ver com isso!

A história que a fabricante da pulseira Rayma conta não é nada mística e tem a ver com energias biológicas e seus efeitos terapêuticos. Quem quiser tentar entender (ou acreditar), pode consultar o site da empresa.

agradecimento: Silvia Abravanel

19 de jan de 2011

O Silvio e eu - com José Eustáquio Jr.



José Eustáquio Jr. tem apenas 21 anos e é bacharel em Direito. Sua vocação para a escrita despertou cedo: aos 13 anos recebeu Moção Congratulatória da Câmara de Pitangui por um artigo sobre a UNE. Ele já publicou um livro: “Viajando pela Velha Serrana” (sobre a história de sua cidade, Pitangui, em Minas Gerais), que ganhou voto de congratulação da Assembléia Legislativa do Estado. Também participou da obra “Centro-Oeste Mineiro: História e Cultura”, que aborda 52 cidades, novamente falando de sua terra natal Pitangui.

Mas vamos ao que nos interessa: Junior possui um blog dedicado a falar do passado e do presente do SBT, o SBTpedia e é um fã de Silvio Santos, requisitos fundamentais para participar da nossa seção O Silvio e eu.

Como você começou a gostar do Silvio Santos?
Bom, desde criança acompanho os programas do Silvio. Mas me tornei fã mesmo porque aqui em casa todo mundo assistia o Em Nome do Amor. Era criança, não mandava nada, tinha que assistir junto e acabei gostando.

Alguma pessoa te influenciou ou te incentivou a ser fã do Silvio?
Acho que não. Mesmo tendo vários primos que eram fãs da Xuxa quando criança eu nunca gostei dos programas dela. Então eu dificilmente seria influenciado a gostar do Silvio. Creio que foi mais a tradição de se acompanhar o SBT aos domingos com o Domingo Legal e o Programa Silvio Santos. Se tem alguém que influenciou mesmo foi o próprio carisma do Silvio.

Qual programa predileto?
Vários. Vários mesmo. Mas um em especial foi marcante, o Qual é a Música. Gosto muito mesmo. Desde quando voltou à grade do SBT em 1999, posso contar nos dedos os dias que eu perdi o programa durante o tempo que ficou no ar. Para mim uma das gincanas mais divertidas que o Silvio comandou. Dava para perceber que o Silvio fazia o programa porque gostava do formato mesmo. Fora que ali o Silvio usava toda a sua capacidade de improvisação, coisa que só era vista no Topa Tudo por Dinheiro.

Você já teve algum problema por gostar do Silvio?
Eu, particularmente, não. Apesar de existir, sempre, uma certa rejeição por parte das pessoas dos programas tidos “populares” do SBT, Silvio Santos é sempre respeitado com quem eu converso, seja no trabalho ou na faculdade (a qual terminei recentemente). Falo em Silvio Santos, aí vem outro e comenta sobre a câmera escondida, sobre a Lívia Andrade. O programa é bem visto, Silvio soube se renovar, falar pros jovens, não é à toa que o crescimento do Programa Silvio Santos coincide com a queda do Pânico em audiência aos domingos. O público jovem curte, mas não gosta de admitir. Esse talvez é o maior problema com outras pessoas em relação ao Silvio.

Qual foi a maior alegria que Silvio Santos lhe proporcionou?
Difícil definir um dia específico. Acho que são aqueles dias em que ele tá bem inspirado e consegue dar aquelas melhores tiradas em artistas. Tal qual Silvio e Lívia Andrade no Jogo dos Pontinhos, Silvio e Pânico / Silvio e Danni Carlos no Qual é a Música e Silvio e Sérgio Mallandro no Show de Calouros (essa eu não acompanhei pela TV, mas pude ver vários vídeos da época). O forte do Silvio sempre foi a improvisação e essa interação que ele consegue quanto o artista dá liberdade é ótima e traz muita alegria.

E a maior frustração?
O Silvio não ser tão gênio em programação de TV como o é em apresentar ou animar programas de auditório. Infelizmente ele peca nesse ponto. Antes, até funcionava. A intuição conseguia milagres. Hoje a TV é muito mais profissional e não dá para viver intuitivamente. Por isso Silvio tem que dar liberdade a profissionais da área para cuidarem da programa e profissionalizar o SBT, amenizando os riscos de uma administração centralizada e parental.

Qual foi a coisa mais interessante ou curiosa que te aconteceu por ser fã do Silvio?
Em 2001 eu já era muito fã do Silvio Santos. Acompanhava direto o Show do Milhão, o Qual é a Música, o Em Nome do Amor... Mas em outubro não acompanhei a grade do SBT num domingo, justamente aquele domingo de 2001. Cheguei na casa de meus avós, eles estavam assistindo ao Domingo Legal. Quando, de repente, entra um programa no ar diferente. Era a Casa dos Artistas. Parei a conversa de todo mundo para saber o que era. Não sabia de nada e a imensa maioria dos brasileiros não sabiam de nada. Porém, eu não tinha visto as chamadas misteriosas que o SBT estava veiculando desde cedo. É o fator-surpresa, coisa que agora entendo que o Silvio gosta tanto.

Você conhece outras pessoas que gostam tanto do Silvio Santos quanto você?
Vários... (risos). Você, Hamilton, o Levy do Página do Silvio Santos. E convivo diariamente com outros no Orkut, no Twitter e agora no SBTpedia, blog que lancei sobre o SBT. Fãs do SBT, essencialmente, mas que por tabela, claro, amam Silvio Santos. A maioria, inclusive, que aprendeu a ser fã do SBT graças ao Silvio e aos programas dele.

Qual a influência de Silvio Santos na sua vida?
Acho que a influência é, sobretudo, de caráter. Aprendi desde cedo que Silvio Santos era o maior pagador de impostos no Brasil, ficava estarrecido de saber que aquele empresário e apresentador começou como camelô. E tudo vencendo as barreiras honestamente, criando novos produtos, desafios, investindo no seu próprio potencial. Silvio Santos é um exemplo para qualquer pessoa que queira vencer na vida corretamente.

Para encerrar, um recado para os leitores do Baú do Silvio?
Um feliz 2011 para todos os leitores do Baú do Silvio, que neste ano possamos ter saúde para acompanhar o SBT na comemoração dos 30 anos que se aproximam e também contar com a companhia de Silvio Santos aos domingos, sempre em ritmo de festa.

12 de jan de 2011

Silvio Santos, o visionário

Um dos adjetivos mais utilizados para falar da carreira de Silvio Santos e de sua ascensão como homem de negócios é a palavra "visionário". Mas aqui empregamos o mesmo termo com um outro significado que vai além do mero "faro" para bons negócios e oportunidades.

Em 1990, Luan e Vanessa eram uma dupla de cantores românticos que fazia um tremendo sucesso com o hit Quatro Semanas de Amor, uma das 20 músicas nacionais mais tocadas no Brasil naquele ano, segundo dados oficiais. Ela, ex-integrante do grupo infantil Trem da Alegria. Ele, ator-mirim de novelas da Rede Manchete.

Eis que no palco do Qual é a Música Silvio Santos observa os dois jovens e, com sua flecha de cupido sugere:

- Vocês deveriam namorar, noivar e se casar pois, assim, o sucesso de vocês, que é um sucesso passageiro, se transformará num sucesso permanente!


Silvio Santos talvez nem saiba o que aconteceu depois. O sucesso de Luan e Vanessa realmente foi passageiro, pois apesar do fenômeno daquele primeiro disco, a dupla se afastou da mídia e partiu para um trabalho com canções católicas no grupo Cantores de Deus. Mas o sucesso do casal foi e é permanente: Luan e Vanessa se casaram, tiveram dois filhos e hoje moram nos Estados Unidos.

Fica assim registrado um momento curioso no qual o game show Qual é a Música teve seu dia de Namoro na TV.



Notícias, novidades e informações sobre Luan e Vanessa e sua vida nos Estados Unidos podem ser encontradas no excelente blog Fã Clube Luan & Vanessa.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas