Este site é desenvolvido por entusiastas e admiradores do artista Silvio Santos e não possui nenhuma ligação com empresas do Grupo Silvio Santos.

29 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Maísa


Maísa é a grande revelação infantil dos últimos tempos. Revelada no Programa Raul Gil como cantora mirim de extrema desenvoltura e espontaneidade e inteligência precoce para a tenra idade, Maísa chegou ao SBT com apenas cinco anos de idade e no comando de programas infantis se transformou num fenômeno de audiência e popularidade entre adultos e crianças.

Maísa apresentou o Bom Dia e Cia. (2008-2011), o Carrossel Animado (2007-2011), o Sábado Animado (2007-2011) e o Domingo Animado (2007-2011). Também participou do Programa Silvio Santos, no quadro Pergunte Para Maísa (2008-2009) e voltou a fazer participações esporádicas desde 2010.

Ao lado de Patati Patatá, Yudi e Priscilla, apresentou Dia de Festa (2011) e Feriadão SBT (2011), especiais infantis exibidos somente em datas especiais.

Em 2009 Maísa foi estrela do especial musical Uma Hora de Sucesso, no qual cantou as músicas de seu CD Tudo Que Me Vem à Cabeça.

Como atriz estará no elenco da novela Carrossel, a estrear em 2012.

Amanhã o Trunfo do SBT trará uma dupla de artistas. Não perca!

28 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Chaves


O personagem mexicano criado por Roberto Gómez Bolaños (Chespirito) não somente é a carta de hoje como também o Trunfo do nosso jogo. Esta carta vence todas as outras, independentemente dos valores nela escritos, com exceção da carta A1, a única capaz de bater o Chaves.

Tendo sido lançado como esquete humorística em 1971 e transformado em série em 1972 no México, Chaves estreou no Brasil em agosto de 1984 e desde então é exibido pelo SBT.

Chespirito foi entrevistado por Gugu no Viva a Noite (1989) ao lado do elenco do seu programa na época. Também falou ao SBT Repórter (2001), ao SBT Brasil (2010) e deu uma longa entrevista para o Programa do Ratinho (2011), no qual recebeu as maiores homenagens da emissora até o momento.

Outros atores que participaram de Chaves também foram entrevistados e homenageados pelo SBT. Florinda Meza, a Dona Florinda, esteve no Programa do Ratinho (2011) ao lado do marido Roberto Gómez Bolaños. Carlos Villagrán, o Quico, foi entrevistado por Jô Soares (1995), no Domingo Legal por Celso Portiolli (2010) e no Programa do Ratinho (2010). Edgar Vivar, o Seu Barriga, esteve no palco do Falando Francamente (2003) e no Programa do Ratinho (2010). Maria Antonieta de Las Nieves, a Chiquinha, participou do SBT Repórter (2001), do Falando Francamente (2003) e visitou o Programa do Ratinho (2011).

Atualmente a Televisa, produtora e distribuidora do seriado, está comemorando os 40 anos da criação de Chaves com especiais que envolvem toda a América Latina, onde o programa é sucesso. O SBT participa dos eventos representando o Brasil.

O seriado foi dublado pela Maga Produções Artísticas, dirigida por Marcelo Gastaldi, que deu voz ao personagem principal. A dublagem foi realizada no estúdios do extinto Departamento de Dublagem da TVS, localizados na Vila Jaraguá, em Osasco, onde anos mais tarde seria construído o Complexo Anhanguera.

Marcelo Gastaldi, falecido em 1995, participou de diversas produções da emissora como cantor, ator, compositor e dublador. Compôs em parceria com Mário Lúcio de Freitas o tema nacional da novela mexicana Chispita (1984), reprisada sete vezes pelo canal. Também para o SBT dublou Ralph em Super Herói Americano, PC no desenho Popples, Charlie Brown no desenho Snoopy, e diversos personagens secundários em Pica-Pau.

Foi entrevistado por Jô Soares na estreia do Jô Soares 11:30 (1988) e participou de outros programas da emissora. Como ator, esteve na novela Sombras do Passado (1983).

Amanhã tem mais carta do Trunfo do SBT.

27 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Lombardi


O Trunfo do SBT traz hoje uma figura muito querida pelo público do SBT. Lombardi, a voz padrão do Programa Silvio Santos e de diversas outras atrações da emissora.

Conquistou a fama e o carinho das platéias sem ter exibido seu rosto e, dentro do SBT, por sua longa trajetória e ligação com Silvio, adquiriu status de parte integrante da cultura organizacional da empresa, o que fez sua morte em 2009 ser sentida por todos os seus funcionários e colaboradores.

Iniciou ao lado de Silvio Santos como locutor comercial, quando o animador comandava os domingos da Rede Globo, em 1965. Juntou-se aos Estúdios Silvio Santos e os acompanhou em todas as fases e emissoras. Aos poucos, ganhou intimidade e espaço para ser interlocutor do apresentador em conversas, piadas e brincadeiras.

No SBT Lombardi participou ativamente do Programa Silvio Santos (1981-2009) e na grande maioria dos programas apresentados pelo Patrão, especialmente os de prêmios. Versátil, lia cartas em tom emotivo, fazia anúncios de produtos em alto-astral, narrava vídeos de curiosidades com espírito jocoso.

Apresentou o quadro dominical A Semana do Presidente (1981-1996). Também participou de outros programas que integravam o Programa Silvio Santos mas que não eram apresentados por Silvio, como o Canta Dança Minha Gente (1999-2002) de Carla Perez e o TV Animal (1988-94), de Gugu.

Foi locutor do Miss Brasil (1981-88). Para a Tele-Sena (1991-2009) anunciava de hora em hora os resultados e as premiações. Eventualmente dava voz a vinhetas especiais.

Em 2001 foi homenageado no desfile da escola de samba Tradição cujo enredo falava de Silvio Santos. Apesar de não ter desfilado, coube a Lombardi fazer o anúncio da escola e o grito de guerra antes dos foliões entrarem na avenida. Nessa ocasião a Rede Globo o entrevistou durante a transmissão e mostrou seu rosto ao vivo na TV.

Em 2005 participou do Roda a Roda especial para o Teleton. Para preservar sua identidade, usou máscara e chapéu de Zorro. Recebeu diversas homenagens e participou de entrevistas e programas especiais, como o SBT Repórter sobre os 28 anos do SBT, sempre na condição de preservar sua identidade.

Fora da televisão desenvolveu atividades como comunicador de rádio, tendo passado pelas rádios Atlântica e Cultura AM de Santos e pela ABC de Santo André. Também lançou diversas fitas e CDs com textos bíblicos e mensagens religiosas.

Após sua morte repetina por infarto fulminante, o site do SBT exibiu por uma semana uma tarja preta em sinal de luto. O Programa do Ratinho levou ao ar emocionante homenagem ao locutor, com depoimento de diversos profissionais da emissora.

Com Lombardi encerramos a família "C" do Trunfo do SBT. A partir de amanhã entramos na reta final da nossa coleção, com as 10 cartas que compõem a família "D - Da Casa" do nosso jogo.

26 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Gugu Liberato


Augusto Liberato teve uma longa história no SBT. Ingressou na Estúdios Silvio Santos como produtor do Programa Silvio Santos, contratado após enviar boas ideias à produção. Começou a atuar em frente as câmeras no boletim de notícias Fatos e Fotos da Semana (1976-77) e Horóscopo com Zora Ionara (1976-79), ambos da TVS Rio. Foi jurado do Programa Raul Gil (1980-82).

Com o surgimento da TVS de São Paulo passou a apresentar a Sessão Premiada (1981), além de atuar no humorístico Alegria (1981-83). Produziu e apresentou o quadro A Semana do Presidente (1981-82) e foi assistente de produção do jornal Telex (1981-82).

O jovem Augusto tinha como anseio tornar-se repórter e telejornalista, mas sua carreira se encaminhou de maneira diversa após assumir a apresentação do programa semanal de música e variedades Viva a Noite (1982-1992). No programa Gugu tinha participação ativa na produção e criação de quadros. Contratado pela Rede Globo em 1987, tinha sua estreia prevista para o ano seguinte, mas o negócio foi desfeito após Silvio Santos oferecer ao promissor animador loiro boa parte do seu horário dominical.

Gugu então iniciou participação ativa dentro do Programa Silvio Santos, assumindo definitivamente a imagem de sucessor do Patrão, que vinha sendo cunhada ao longo dos anos. Relançou o Cidade Contra Cidade (1988-89), remake do clássico de Silvio Santos e, na sequência Gugu apresentou Passa ou Repassa (1988-94), TV Animal (1988-94), Corrida Maluca (1989-91), Big Domingo (1991-92), Domingugu (1992), Super Paradão (1992), Programa de Vídeos (1992-93), Nações Unidas (1992-93), Play Game (1993) e Disco de Ouro (2002-03).

Mas o principal sucesso de Gugu foi o Domingo Legal (1993-2009), programa de variedades, disputa entre artistas e concursos transmitido ao vivo, que estabeleceu uma ferrenha guerra de audiência e foi uma das principais atrações da emissora.

Aos sábados, diante do boom da música sertaneja, lançou o musical Sabadão Sertanejo (1991-98), posteriormente renomeado para Sabadão (1998-2002). Por um breve período o programa foi transferido para as sextas, mudando de nome para Paradão Sertanejo (1994-95).

Gugu participou de diversos especiais. Ao lado de Bozo ancorou A Descida do Papai Noel (1982), desfilou na Parada do Dia da Criança (1986-88), estrelou o infantil Parque do Gugu (1996) e atuou no SBT Palace Hotel (2001).

Paralelamente à carreira de animador, Gugu lançou diversas marchinhas e músicas voltadas ao público infantil, escreveu livros, lançou um parque de diversões com seu nome e foi comunicador das rádios Capital e Record de São Paulo. Deixou o SBT em 2009, mas sua imagem continua fortemente ligada à emissora.

Amanhã voltaremos com a última carta da família "C" do Trunfo do SBT.

25 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Pedro de Lara


O radialista, comediante, ator, escritor, astrólogo e jurado de televisão tornou-se figura lendária na TV. Possuía um vasto repertório de ditos e provérbios de sabedoria popular, muitos dos quais criados por ele mesmo, e que declamava quando necessários.

Seu estilo irreverente e exagerado o tornou figura eternamente atrelada aos júris de concursos de calouros, nos quais opinava com excesso de moralismo contra qualquer tipo de vulgaridade e avesso à maioria, sempre dando seu voto ao candidato rejeitado pelos demais jurados. Outra de suas características eram os lírios brancos, que sempre carregava em suas aparições.

Pedro começou a atuar como jurado na televisão no programa Buzina do Chacrinha (1964-1972). Nas rádios participava de programas populares interpretando os significados dos sonhos dos ouvintes. Era o campeão de cartas da Rádio Tupi do Rio, onde fazia o quadro O Sonho é um Aviso, dentro do Programa Paulo Barboza. Fez o mesmo quadro na Rádio Nacional de São Paulo, dentro do Programa Silvio Santos.

A data precisa da estreia de Pedro de Lara no Programa Silvio Santos não é precisa, mas ele começou a atuar ao lado do Patrão em meados dos anos 70. Pedro participou do Show de Talentos Anônimos (1977-78), programa depois repaginado e rebatizado como Show de Calouros (1978-1992). Posteriormente o programa foi chamado de Show de Variedades (1992-93).

Interpretou o palhaço Salci Fufu no programa Bozo (1980-82, 1984-1986). O personagem era um inventor maluco, "professor mundialmente conhecido", como ele se apresentava.

Ainda como humorista, era parte do elenco da série As Secretárias (1982-83)

Como apresentador, saiu da bancada de jurados eventualmente para animar o Novo Show de Calouros (1993-96), que era apresentado pelos jurados em revezamento no lugar de Silvio. Em 1996, após completar 24 anos na emissora, foi homenageado durante o programa e se emocionou, o que era raro de ver em sua figura alegre, porém sisuda.

Com o fim do Novo Show de Calouros, Pedro continuou participando com frequência de júris em outras atrações da emissora, como o Programa do Ratinho, e recebeu diversas homenagens.

Retornou à emissora para julgar candidatos no Gente Que Brilha (2004-2005), quadro de calouros do Programa Silvio Santos. Faleceu dois anos depois, transformando-se num ícone pop.

Amanhã tem mais um artista aqui no Trunfo do SBT!

24 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Mariane


A jovem cantora mirim Mariane fez jus à fama do SBT de revelar talentos. Ela que se apresentava em programas de calouros e pequenos shows foi contratada pela emissora para substituir a estrela Simony no comando do Dó Ré Mi Fá Sol Lá Simony. Com a nova apresentadora, o programa passou a se chamar Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si com Mariane (1989-90), talvez um dos nomes mais extensos da história da televisão!

Com boa presença de palco, naturalidade e bela voz, conquistou seu espaço. Era presença constante na bancada do Show de Prêmios do Baú da Felicidade (1990-91), quadro do Programa Silvio Santos.

Um ano depois de sua estreia, a loirinha ganhou um novo programa, o Mariane (1990-1991), com competição entre escolas, gincanas, brincadeiras, desenhos animados e atrações musicais. O programa chegou a levar o SBT à liderança no horário, vencendo o Xou da Xuxa. Na mesma época, lançou em 1990 o LP Ciranda, conquistando o disco de ouro.

Após deixar o SBT Mariane passou por outras estações e se tornou multi-artista. É cantora, locutora, apresentadora, mestre de cerimônias.

Retornou à emissora para integrar o coral do quadro Não Erre a Letra, do Programa Silvio Santos (2010), a convite do animador. Recebeu homenagens e fez participações especiais nos programas comemorativos aos 30 anos do SBT.

Atualmente Mariane apresenta o programa +Q Tudo, pela éTV, canal 18 da TVA de São Paulo.

A presença de Mariane no Trunfo do SBT faz lembrar a época do auge da programação infantil do SBT, quando, sob a batuta do diretor de núcleo Luiz Afonso Mendes e de valorosa equipe de redatores, produtores e diretores, a emissora tinha simultaneamente no ar cinco programas infantis apresentados por cinco artistas diferentes: Show da Simony, Bozo, Oradukapeta, Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si, Show Maravilha, que totalizavam doze horas diárias dedicadas à criança. Amanhã tem nova carta aqui no Baú do Silvio. Não perca!

23 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Sérgio Mallandro


Sérgio Mallandro é outro profissional de televisão que é cria do SBT e tem uma relação longa e intensa com o canal. Nos anos 70 participava do Cidade Contra Cidade, quadro do Programa Silvio Santos, defendendo o Rio de Janeiro. Em 1980, passou a integrar o time do Aqui e Agora, programa da Rede Tupi que deu origem ao O Povo na TV, da TVS (1980-84). No programa conduzia os quadros musicais e entrevistava os artistas.

Transformado em apresentador, Mallandro apresentou o Campeonato de Dança (1984-85) aos sábados; foi um dos apresentadores da Sessão Premiada (1981-86) e da TV Powww! (1984-86). Atuou também no Show de Calouros (1981-90) como jurado, sendo sua característica tirar Silvio Santos do sério.

Sua consagração veio com o Oradukapeta (1987-90), programa que o alçou à condição de ídolo da garotada, especialmente dos meninos, que podiam se espelhar no único homem a comandar um programa infantil na televisão sem estar caracterizado de palhaço, numa época dominada pelas apresentadoras loiras. Ali surgiram as clássicas brincadeiras da Porta dos Desesperados e A Hora do Pênalti, com o goleiro Mallandrovski.

Participou da Parada Branca de Neve (1987) e da Parada do Dia da Criança (1986-88), aclamado como uma das estrelas da programação infantil.

Após deixar a emissora em 1990, Sérgio retornou para comandar o programa Sérgio Mallandro (1994-96), infantil baseado no antigo Oradukapeta, acrescentado de um quadro de humor com inspiração no Chaves, chamado Vila do Mallandro.

Desde então Mallandro faz participações especiais e tem recebido diversas homenagens em programas do SBT, mas não mais integrou o elenco fixo da emissora.

Amanhã tem mais um personagem histórico da TV no Trunfo do SBT!

22 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Flávio Cavalcanti


Flávio Cavalcanti, uma das personalidades mais polêmicas do rádio e da televisão brasileira, escreveu no SBT a página final de sua longa carreira.

Amigo de Silvio Santos, evitava ser concorrente de Silvio aos domingos, quando este apresentava seu programa na Globo à tarde e Flávio conduzia sua atração noturna na Tupi. Veio trabalhar pela primeira vez com Silvio quando retomou um antigo formato que criara, o Um Instante Maestro, exibido em 1976 pela Record e TVS Rio.

Flávio retornou à Tupi em 1978 e passou a apresentar seu programa logo após o Programa Silvio Santos.

Com o fim da rede pioneira de Chateaubriand, Flávio ficou sem programa e foi convidado pelo SBT para ser anfitrião do Festival de Música Carnavalesca (1982), programa exibido somente para o Rio de Janeiro.

Finalmente, no ano seguinte, Flávio chegou definitivamente ao SBT e em rede nacional, trazendo toda a sua bagagem construída ao longo de seus longos anos na Tupi e suas passagens pela TV Rio, Record, TVS e Bandeirantes.

O Programa Flávio Cavalcanti (1983-86) foi exibido durante dois anos e meio, levando com grande equipe de produção, júri, concursos, entrevistas e as críticas vorazes e ásperas que eram marca registrada do comunicador.

Vitimado por uma isquemia enquanto apresentava o programa em 22 de maio de 1986, Flávio Cavalcanti faleceu cinco dias depois. Em luto, o SBT tirou do ar a programação até que se desse o seu sepultamento.

A família ainda teve outros laços com a emissora. Flávio Cavalcanti Jr., filho do apresentador, é executivo da área de telecomunicações e por 18 anos atuou como diretor regional do SBT em Brasília. Em frente às câmeras foi repórter do SBT Rural (2003-2006).

21 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Mara


A apresentadora e cantora baiana Mara é daquelas estrelas que, mesmo fora da emissora, ainda mantém profunda identificação com o SBT. Não é exatamente uma prata-da-casa, já que teve breves passagens por outras estações, a começar pela afiliada da Tupi na Bahia.

Em 1980 chegou à TVS para participar de O Povo na TV (1980-1981). Naquele tempo já se iniciava como cantora e se apresentou em diversos programas da emissora. Até que em 1984 assinou novo contrato com o SBT, que seria sua casa pelos próximos dez anos. Nesse período foi jurada, repórter, apresentadora e incorporou o apelido Maravilha ao seu nome. Finalmente, conquistou o público infantil e tornou-se companhia diária da garotada.

Deixou sua marca em diversos programas: Show da Tarde (1984-85), Sessão Premiada (1985), Sessão Sorteio do Meio Dia (1983-85), Sessão Sorteio da Tarde (1983-85), Vamos Nessa (1984-85), TV Powww! (1985), Sessão Passatempo (1985). Seu programa mais marcante, claro, foi o infantil diário Show Maravilha (1987-94).

Participou da Parada Branca de Neve (1987) e da Parada do Dia da Criança (1986-88), foi jurada do Show de Calouros (1985-87, substituída por Flor) e repórter do “Viva a Noite (1984-87).

Após deixar o SBT, Mara incursionou no mercado latino e passou por outras emissoras brasileiras. Atualmente é apresentadora da éTV, canal por assinatura. Em paralelo desenvolveu sua carreira de cantora, seguindo a linha gospel.

Amanhã o Trunfo do SBT traz mais um artista "clássico". Não perca!

20 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Bozo


Bozo, o maior palhaço do mundo, não poderia faltar no Trunfo do SBT. O personagem americano criado em 1946 por Allan Livingston e transformado pela Larry Harmon Pictures em franquia e sucesso internacional teve os direitos adquiridos pelos Estúdios Silvio Santos.

As crianças do Brasil conheceram o palhaço de cabelo vermelho em 1979 no Show do Bozo, exibido durante uma semana pela TVS Rio e que serviu como avant-premiére do espetáculo. Nesse programa o personagem foi interpretado por Wanderley Tribéck (Wandeko Pipoca) e foi acompanhado de Vovó Mafalda (Valentino Guzzo) e Papai Papudo (Gibe), criados especialmente para a versão brasileira do programa.

No ano seguinte o palhaço finalmente fez sua estreia definitiva em seu programa próprio intitulado Bozo (1980-1991) e se firmou como uma estrela do SBT e dos mais queridos amigos das crianças. O programa era transmitido pela TVS Rio, pela Record SP e por outras afiliadas que formavam a rede que daria origem ao SBT. Com a licença renovada, Bozo e sua família se tranferiram para o Canal 4 onde permaneceram por dez longos anos, chegando a ocupar oito horas diárias no ar, ao vivo.

Em rede o personagem foi interpretado por Wanderley Tribéck (1979-82), Arlindo Barreto (1981-86), Luis Ricardo (1983-1989, novamente deste 2011), Marcos Pajé (1985-87) e Décio Roberto (1984-91). Diversos outros atores fizeram o personagem durante o período em que eram produzidas versões locais.

No SBT era companhia diária das crianças à frente dos programas Bozo (1981-1991), Desenho Sorteio (1984) e Sessão Desenho (1984). Contracenou com o Patrão no dominical Silvio Santos e Bozo (1982).

O palhaço participou dos especiais A Descida do Papai Noel (1982), Parada do Dia das Crianças (1986-88) e Parada da Branca de Neve (1987). Após vinte anos, reapareceu no SBT no especial Dia de Festa (2011) em comemoração aos 30 anos do canal e no Programa Silvio Santos, nessas duas ocasiões interpretado por Luis Ricardo. Fala-se numa possível volta do programa, mas não há nenhuma informação confirmada.

O Trunfo do SBT continua amanhã. Até lá!

19 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Hebe Camargo


A Grande Dama da Televisão Brasileira chegou ao SBT em 1986 e durante vinte e quatro anos esteve intensa e intimamente ligada à emissora. No Canal 4 retomou o prestígio e a popularidade que lhe fizeram a fama e consagraram o seu estilo único de apresentar, entrevistar e opinar sobre os fatos do momento.

O programa Hebe (1986-2010) tinha a mais famosa sala de visitas da TV e seus convidados ofereciam um retrato fiel do que era discutido e estava em evidência na sua época. Música, política, economia, artes e comportamento faziam parte do amplo leque de assuntos abertos sobre o famoso sofá que recebia os participantes da atração.

A loiruda também esteve frente ao Hebe por Elas (1991-93), programa de debates no qual mediava os pensamentos de oito convidados, geralmente mulheres. Assim, além de discutir assuntos importantes da realidade nacional, o programa exaltava a participação feminina na sociedade.

Outro programa de debates do qual Hebe fez parte foi o Fora do Ar (2005), no qual tomaram parte Adriane Galisteu, Jorge Kajuru e Cacá Rosset. A novidade deste formato é que se tratavam de quatro amigos com bastante intimidade entre si, o que possibilitava acaloradas e descontraídas discussões e até a revelação de segredos pessoais.

Hebe participou dos especiais Parada do Dia da Criança (1986-88), Romeu & Julieta (1991 e 2003), no papel da protagonista, contracenando com Golias, e do SBT Palace Hotel (2001). É a madrinha da campanha beneficente Teleton, em prol da AACD, e participa do evento desde seu início, em 1998. Mesmo tendo deixado a emissora no final de 2010, Hebe continuou participando da campanha.

18 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Ronald Golias


Ronald Golias abre a série de cartas com personalidades clássicas do SBT.

A ligação de Golias com a emissora começa há mais de 50 anos, quando ele conheceu e se tornou amigo de Manoel de Nóbrega, Carlos Alberto e Silvio Santos. O comediante se tornou amigo inseparável do trio e sua carreira toda esteve praticamente sempre ligada a pelo menos um deles, em todos os momentos. Golias se tornou um dos maiores nomes do humor brasileiro em todos os tempos e boa parte da trajetória deste artista foi registrada pelas câmeras dos Estúdios Silvio Santos e, posteriormente, do SBT.

Durante a década de 1970, era estrela do quadro Folias de Golias, exibido durante o Programa Silvio Santos. Estrelou Bacará 76 (1976) pela TVS do Rio de Janeiro. Já depois do surgimento da rede do SBT foi o protagonista da Escolinha do Golias interpretando Pacífico e Bartolomeu Guimarães (1990-93, 95-97) e da série Meu Cunhado (2004-2006), na qual contracenou com outro amigo de longa data, Moacyr Franco.

Integrou o elenco fixo de A Praça é Nossa até a sua morte (1990-2005). No programa interpretou os personagens Pacífico, Bronco, Bartolomeu Guimarães, Isolda e Profeta.

Ao lado de Hebe, protagonizou Romeu e Julieta, em duas versões (1991 e 2003), reencenando um especial que ambos haviam realizado em 1970. Também participou do especial SBT Palace Hotel (2001).

Toda a trajetória de Ronald Golias pode ser conhecida no site feito em sua homenagem, no qual também há um documentário em vídeo que pode ser assistido gratuitamente.

Continuamos amanhã com o Trunfo do SBT!

17 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Rodolpho Gamberini


Jornalista experiente de mídia impressa, rádio e televisão, Rodolpho Gamberini já passou por praticamente todas as emissoras de TV atuando em bancada, entrevistas, reportagem, editoria e direção de jornalismo.

No SBT desde 2009 (embora na carta esteja assinalado 2010), Gamberini realiza reportagens especiais para o SBT Repórter e é apresentador eventual dos telejornais da emissora.

A partir de amanhã - não vamos parar no Carnaval - o Baú do Silvio começa a publicar as cartas da família C (Clássicos) do Trunfo do SBT. Esta série é composta por dez artistas marcantes na emissora.

Ritmo de Folia

As tradicionais marchinhas de carnaval na voz de Silvio Santos não podem faltar e já estão no ar.

O SBT fez novas vinhetas bem interessantes (e muito melhores do que as dos últimos anos) para promover esta festa popular. Outro ponto positivo foi terem escolhido gravações antigas, mais tradicionais, ao contrário das versões em ritmo dance que foram gravadas por Silvio em 1994 e haviam se tornado padrões.

Por enquanto no YouTube temos disponíveis duas marchinhas.

A PIPA DO VOVÔ


Esta aqui embaixo é nova: já foi cantada algumas vezes no Programa Silvio Santos e é a marchinha de 2012 do Homem do Baú, composta por Manoel Ferreira e Ruth Amaral.

CANTA SEJA FELIZ

16 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Cesar Filho


Cesar Filho é radialista, locutor, ator, apresentador, leiloeiro, mestre de cerimônias e jornalista. Sua formação como comunicador se deu nos microfones de rádio, seguindo os passos de seu pai, Reinaldo Cesar. Em sua carreira já atuou em diversos segmentos e no SBT, emissora na qual teve duas passagens (1990-91 e desde 2006), não foi diferente.

Apresentou o programa de curiosidades Ver Para Crer (2006-07) ao lado do seu amigo Celso Portiolli, os jornais Boletim de Ocorrências (2010) e Aqui Agora (2008).

Como ator esteve no seriado Alô Doçura (1990-91), remake de um sucesso da TV Tupi escrito por Cassiano Gabus Mendes, contracenando com Virginia Nowicki e dirigido por Walter Avancini.

Atualmente apresenta o SBT Repórter (desde 2007), no qual também faz reportagens especiais, e é apresentador eventual do Jornal do SBT.

Amanhã o Baú do Silvio trará a última carta da família B. Continue acompanhando!

15 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Magdalena Bonfiglioli


Magdalena Bonfiglioli tem uma longa história com o SBT. Contratada em 1981 como a primeira jornalista da emissora, teve como uma das primeiras e mais importantes missões cobrir a cerimônia de concessão dos canais da antiga Tupi para a nova rede do Grupo Silvio Santos.

Seu currículo de realizações para o SBT é dos mais extensos.

Em revezamento com outros profissionais apresentou o Jornal da Noite (1981), o Jornal da Manhã (1981), o Jornal da Cidade (1984-86), o Cidade 4 (1986-88), e o Notícias da Última Hora (1997-99) e foi repórter de todos os jornalísticos do SBT, como o Noticentro (1981-88), o SBT Repórter (1995-97) e o TJ Brasil (1988-97). Também fez matérias para o programa A Mulher é um Show (1983-84). A partir de 1991 passou a defender o microfone do Aqui Agora (1991-97, 2008), seu trabalho de maior repercussão.

Carismática e conhecida pelo estilo emotivo e sensível das reportagens, após alguns anos fora, Magdalena retornou à emissora e atualmente é repórter do Programa do Ratinho (desde 2009) e realiza matérias especiais anualmente para o Teleton.

14 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Rachel Sheherazade

A jornalista Rachel Sheherazade ilustra a 17ª carta do nosso Trunfo.


Paraibana, Rachel atuou sempre no jornalismo local, onde era âncora da TV Tambaú, afiliada do SBT no estado. Transmitia credibilidade e segurança em suas opiniões e apresentação, mas tornou-se conhecida nacionalmente em 2011, após tecer duras críticas sobre os rumos atuais do Carnaval, em especial sua exploração econômica e a identificação popular com a festa. O comentário exibido na emissora local repercutiu após ser reproduzido na internet, chamando a atenção da cabeça-de-rede, que contratou a jornalista.

Então, Rachel Sheherazade passou a integrar a nova equipe do SBT Brasil, ao lado do veterano jornalista e radialista Joseval Peixoto, ambos mantendo como característica o jornalismo de opinião.

Amanhã tem mais uma carta do Trunfo do SBT!

13 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Joyce Ribeiro


Jornalista, apresentadora e repórter, Joyce Ribeiro apresentou na emissora o Jornal do SBT Manhã (2005-2006), a nova versão do Aqui Agora (2008) e o Boletim de Ocorrências (2009-2010). É apresentadora eventual dos telejornais e da previsão do tempo e também realiza reportagens e apresenta boletins informativos ao longo da programação.

Por ser a primeira apresentadora de telejornais negra na televisão brasileira, Joyce conquistou diversos prêmios e homenagens de entidades que defendem a igualdade racial e a cultura negra.

Amanhã nosso Trunfo do SBT continua trazendo mais um nome do jornalismo do SBT.

12 de fev de 2012

Silvio Santos e Wando



Nestas cenas recuperadas de nosso arquivo Silvio Santos e os jurados do Show de Calouros entrevistam o cantor Wando no programa exibido em 18 de julho de 1992.

Esse vídeo, além de servir como justa e merecida homenagem ao Wando serve também como uma pequena aula de apresentação de programas e entrevistas.

Veja a condução do Silvio Santos, o timing preciso, as perguntas bem sacadas na hora certa, espontâneas, sem necessitar de auxílio de ficha ou leitura de dália ou teleprompter, sem interromper o convidado, usando de uma malícia bem sutil, sem nenhuma vulgaridade.

As intervenções dos jurados também eram adequadas e tornavam o quadro da Entrevista da Semana do Show de Calouros um dos pontos altos do programa.

Ainda em tributo ao falecido cantor, vejam esta participação de Wando na Praça é Nossa, do mesmo ano de 1992, na qual ele enfrenta a fofoqueira Vamércia, personagem da saudosa Maria Tereza.

Trunfo do SBT - Marília Gabriela


Marília Gabriela chegou ao SBT já consagrada como uma das mais prestigiadas jornalistas e entrevistadoras da TV brasileira. Na tela do canal 4 de São Paulo apresentou First Class (1996), ao lado de Augusto Nunes e José Simão, SBT Repórter (1997-2000) e De Frente com Gabi (1998-2000, 2002-2004, 2010-presente).

Participou das transmissões do Oscar (2002) e também experimentou sua veia de atriz no especial humorístico Romeu e Julieta (2003), exibido dentro do programa Hebe, fazendo o papel de aia.

Amanhã tem mais Trunfo do SBT no Baú do Silvio!

11 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Hermano Henning


O Trunfo do SBT traz hoje Hermano Henning.

Inicialmente foi um dos apresentadores do TJ Internacional (1990-91), direto de Nova Iorque, aproveitando-se de seu vasto currículo como correspondente internacional de diversos veículos de comunicação. Apresentador eventual do TJ Brasil (1988-97), assumiu posteriormente a titularidade da bancada e a editoria, com a saída de Bóris Casoy.

Apresentou o programa de entrevistas A Hora de Mudar (1990), ao lado de Boris Casoy e Alberto Tamer; co-ancorou o Jornal do SBT / CBS Telenotícias (1997-98), apresentado de Miami por Leila Cordeiro e Eliakim Araújo e de São Paulo por Hermano e Liliane Ventura; ancorou o Jornal do SBT (1999-2005); o Notícias do Dia (1998-99); o Notícias da Semana (1999); o SBT Repórter (2000-2003) e desde 2005 o Jornal do SBT Manhã, em companhia de Analice Nicolau.

Apresentou ainda o programa de vídeos Isto é Real (2000) e os programetes sobre trânsito Sinal Amarelo (1989). Foi repórter especial nas transmissões de Fórmula Indy.

Hermano Henning tornou-se um patrimônio do SBT. Competente e dedicado mesmo nos momentos em que o departamento de jornalismo da emissora esteve desmontado ou relegado a um plano de menor importância.

10 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Goulart de Andrade


Experiente jornalista, Goulart de Andrade, produziu, apresentou e dirigiu programas em diversas emissoras, consagrando-se, no final da década de 70, com o formato documentarista de longas reportagens sobre assuntos variados e pouco usuais, geralmente ligados a trabalhos, bastidores e personalidades desconhecidas da cena noturna das grandes cidades, sob uma óptica incisiva, ousada e curiosa.

Mostrar o funcionamento de um arranha-céu em Nova Iorque, uma cirurgia plástica, a manutenção dos trens do metrô de São Paulo, a vida dos transexuais e outras reportagens do tipo, envolvendo temas polêmicos e pouco conhecidos, sempre fizeram parte do cardápio de Goulart.

No SBT, apresentou, produziu e dirigiu os programas Eu Sou o Repórter (1986-87), que trazia reportagens especiais sobre assuntos polêmicos, e o Comando da Madrugada (1986-92, 1993-94), inicialmente denominado Plantão da Madrugada, e no qual cunhou o seu conhecido bordão "vem comigo!". Também apresentou o Programa Goulart de Andrade (1992-93), no mesmo estilo.

Mesmo após deixar a emissora, muitas reportagens que fizera pelo SBT foram reprisadas nos outros canais por onde Goulart passou e continuaram sendo repercutidas.

Goulart de Andrade voltou ao SBT em 2009 e desde então é repórter especial do SBT Repórter.

Amanhã nosso Trunfo do SBT continua, com mais uma carta. Continue nos acompanhando!

9 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Carlos Nascimento


O jornalista Carlos Nascimento tem longa carreira como repórter, apresentador e editor de telejonais, tendo passado pela Globo, Cultura e Bandeirantes. Num momento marcante e curioso, realizou a cobertura ao vivo, pela Globo, do sequestro de Silvio Santos, em 2001.

Apresenta e é editor-chefe do Jornal do SBT (desde 2007). Também foi editor-chefe do SBT Brasil (2006-2011), que apresentou ao lado de Karyn Bravo, e ancorou o SBT São Paulo (2006) e o SBT Manchetes (2007) ao lado de Cynthia Benini.

Nascimento realiza eventualmente coberturas especiais, como das eleições americanas (2008) e a morte de Michael Jackson (2009). Atualmente, está nas ilhas Malvinas para a realização de uma série de reportagens.

Amanhã nosso Trunfo continua com mais um nome do jornalismo do SBT.

8 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Roberto Cabrini


Jornalista, editor, apresentador, produtor e diretor, Cabrini abre a família B de cartas do Trunfo do SBT, dedicada ao jornalismo do canal.

Em sua primeira passagem pela emissora foi repórter esportivo (1988-91) e esteve à frente do programa SBT Esporte (1990). Chefiou o Departamento de Esportes da emissora, que transmitiu a Copa do Mundo da Itália, e realizou coberturas importantes sobre doping no atletismo, boxe e Fórmula-1.

Retornou como repórter especial do SBT Repórter (1995-97) e apresentou matérias no Afeganistão, Iraque e Palestina, além da célebre entrevista com Fernando Collor, além de ter integrado a equipe que transmitia a Fórmula Indy.

Voltou ao SBT para conduzir o Conexão Repórter (desde 2010), no qual mantém sua linha de jornalismo investigativo. Este programa vem rendendo a Roberto Cabrini e a sua equipe diversos prêmios e repercussão mundial.

Amanhã traremos a décima segunda carta do Trunfo do SBT. Continue acompanhando!

7 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Christina Rocha


Christina Rocha tem uma carreira fortemente ligada ao SBT. A lista de programas que apresentou é longa, destacando-se dela diversos programas de prêmios.

Começou apresentando os quadros femininos de O Povo na TV (1980-1984), Sessão Premiada (1981-86), Show da Tarde (1983-85), TV Powww! (1984-86), Musicamp (1986-88), Sessão Passatempo (1986), Sessão Sorteio do Meio Dia (1983-85), Sessão Sorteio da Tarde (1983-85). Foi também repórter do Viva a Noite (1983-1987) e apresentadora de alguns quadros do Programa Flávio Cavalcanti (1983-1986). Foi uma das repórteres a cobrir a Parada do Dia da Criança (1986-88).

Seu trabalho mais notório veio na sequência, como uma das âncoras do Aqui Agora (1991-1996). Em seguida, ganhou programa próprio, o Alô Christina (também chamado Alô Crystynah, devido a uma sugestão da numerologia, 1997-98).

Apresentou ainda boletins do Notícias de Última Hora (1997-99) e diversas atrações: o Festival Viña del Mar 97 (1997), Programa Livre (1999), Fantasia (2000) e Tarde de Amor (2000).

Christina deixou o SBT em 2001, voltando sete anos depois. Em sua segunda passagem pela emissora, esteve à frente da nova versão do Aqui Agora (2008) e apresenta atualmente o Casos de Família (desde 2009).

Com esta carta finalizamos a família A do nosso Trunfo do SBT. Amanhã começaremos a postar as cartas da família B: Jornalismo. Aguardem!
Com esta

6 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Patrícia Abravanel


Filha número 4 de Silvio Santos, Patrícia Abravanel iniciou sua carreira artística em 2011, como apresentadora de merchans da Jequiti e do Baú da Felicidade, dentro do Programa Silvio Santos. Disposta a evoluir e se tornar um nome importante da emissora, não só pelo sobrenome, Patrícia aos poucos foi conseguindo mais espaço.

Passou a integrar a bancada do Jogo dos Pontinhos do programa de seu pai, mostrando sua veia cômica, e substituiu a xará Patrícia Salvador durante sua licença maternidade, no Roda a Roda Jequiti.

Comandou o Festival SBT 30 anos (2011) e atualmente divide a apresentação do Cante se Puder com Márcio Ballas.

Se relançarmos no futuro este Trunfo do SBT, a carta de Patrícia certamente trará valores bem melhores. É o que todos esperamos!

Amanhã traremos a décima carta do nosso jogo, encerrando a família "A". Aguardem!

5 de fev de 2012

Trunfo do SBT - André Vasco


Radialista, ator e ex-VJ, André Vasco teve sua primeira experiência no SBT como repórter eventual da segunda versão do Viva a Noite (2007). Mas chegou definitivamente à emissora para apresentar o programa Qual é o Seu Talento (2009-12). Seu compromisso naquele programa era simples: aparecendo quase sempre nos bastidores, com tiradas espirituosas, comentários e entrevistas com os candidatos antes e depois de suas apresentações, André fazia um termômetro divertido daquele concurso de talentos.

Sua participação se ampliou no programa Astros (desde 2012), no qual conduz diretamente do palco, e não da coxia, os números, entrevistando os participantes e interagindo com os jurados do programa.

Participou ainda da cobertura do Carnaval de Salvador, na faixa SBT Folia (2011).

Amanhã apresentaremos a nona carta do nosso Trunfo do SBT. Continue acompanhando!

4 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Eliana

Completamos a primeira semana do Trunfo trazendo a sétima carta do jogo e a primeira figura feminina: Eliana.


Eliana foi modelo infantil e integrou os grupos musicais A Patotinha e Banana Split, formados por outras jovens meninas, no auge da lambada. Chamou a atenção de Silvio Santos ao participar do Qual é a Música e foi contratada para se tornar mais uma apresentadora infantil do SBT.

Em sua primeira passagem pela emissora, Eliana conquistou o público mirim e gravou diversos discos. Apresentou Festolândia (1991), Sessão Desenho (1992-1994), Bom Dia & Cia. (1993-1997), Eliana & Cia. (1997-1998), e TV Animal (1996), aqui assumindo a vaga deixada por Angélica.

Retornou ao SBT após dez anos com um novo perfil, atraindo audiência de todas as idades, e passou a comandar o programa Eliana (desde 2009), sendo a primeira mulher a ocupar quatro horas da programação dominical do canal.

Também participou dos programas Novo Show de Calouros (1993-96) como jurada e do Roletrando (1993) sorteando cupons promocionais.

Amanhã o Trunfo do SBT continua!

3 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Ratinho

Ratinho é a estrela da sexta carta do Trunfo do SBT


Carlos Massa, o polêmico e popular Ratinho, era um fenômeno de audiência em meados dos anos 90. Vindo do Paraná, estourou em todo Brasil e chegou ao SBT para conduzir o seu Programa do Ratinho (1998-2007, 2009-hoje), um show diário de variedades, notícias, denúncias, informação, entrevistas e muito humor.

Apresentou ainda: Você é o Jurado (2007), Jornal da Massa (2007), Nada Além da Verdade (2009-10), Clube do Ratinho (2011). Apareceu como ator na novela Vende-se um Véu de Noiva (2009-10) e nos especiais SBT Palace Hotel (2001), Romeu & Julieta (2003), Chaves Brasileiro (2011), aqui atuando como Sr. Barriga.

Nossa série Trunfo continua amanhã com a sétima carta do baralho. Quem será que vai estar nela?

2 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Raul Gil

A carta de hoje apresenta o animador Raul Gil.


Já demos o perfil de Raul aqui no blog, então seremos breves.

Estreou no SBT em 1980. Na época começava-se a usar o nome SBT para designar a rede formada pela Record de São Paulo, TVS do Rio e outras emissoras afiliadas pelo Brasil, a maioria oriunda da antiga rede da Tupi.

Com o nascimento da TVS de São Paulo, Raul migrou para o canal 4 em 1981, permanecendo no SBT até 1984. Retornou à emissora em 2010.

Sua relação com Silvio Santos é mais antiga: em meados da década de 1960 foi integrante da Caravana do Peru Que Fala, na qual era cantor e imitador.

Amanhã tem mais uma carta, a sexta do nosso Trunfo. Estão gostando? Deixe um comentário.

1 de fev de 2012

Trunfo do SBT - Carlos Alberto de Nóbrega

A carta A4 do nosso Trunfo traz Carlos Alberto.


A história de Carlos Alberto se mistura com a do SBT. Amigo de longa data de Silvio Santos e filho de Manoel de Nóbrega, grande mentor de Silvio, Carlos desde jovem descobriu o talento de redator de humor e encontrou grandes parceiros cômicos no rádio, como Golias e Canarinho, que foram com ele transportados para a televisão.

Ator, humorista, redator, escritor e diretor, Carlos demorou para chegar ao SBT. Em 1987, reatou a amizade com Silvio, que andava estremecida, e trouxe à emissora a reedição do grande sucesso de seu pai, Praça da Alegria, agora denominada A Praça é Nossa. A tiracolo, trouxe um grande elenco de comediantes que tornaram o programa líder de audiência.

Além de ser o anfitrião da Praça, Carlos era o professor Caliostro da Escolinha do Golias (1990-93, 1995-97) e atuou nos especiais Romeu & Julieta (1991 e 2003), SBT Palace Hotel (2001), Chaves Brasileiro (2011) e Uma Dupla Quase Dinâmica (2011). Desfilou na Parada do Dia da Criança (1987-88).

Como redator e diretor assinou os programas Maria Teresa Especial (1992) e Escolinha do Golias (1990-93, 1995-97), o especial Romeu & Julieta (1991) e, claro, A Praça é Nossa (desde 1987). Também foi diretor artístico do SBT.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas