Este site é desenvolvido por entusiastas e admiradores do artista Silvio Santos e não possui nenhuma ligação com empresas do Grupo Silvio Santos.

17 de nov de 2009

Teatro Silvio Santos, o templo do auditório

Em 1978, Silvio Santos gravava seus programas no Teatro Manoel de Nóbrega, um antigo cinema localizado na Rua Cotoxó, 1021, no bairro da Pompéia. O Teatro havia sido reformado com um sistema de prevenção de incêndios, mas de nada adiantou: numa noite, o térreo e o primeiro andar do edifício de três pisos foram consumidos por um incêndio que se iniciou horas após o término da gravação de Cidade Contra Cidade, destruindo praticamente toda a estrutura técnica.

Na semana seguinte ao incêndio, Silvio Santos comandou seu programa de forma improvisada no palco do Palácio das Convenções do Anhembi. Mas logo teria um novo palco: comprou o Cine Sol, um antigo e decadente cinema de bairro, localizado na Avenida General Ataliba Leonel, 1772, no bairro do Carandiru, não muito distante dos estúdios da Vila Guilherme. Foi reformado e batizado de Teatro Silvio Santos, mas também chamado de Teatro da TVS.

Cine Sol em foto dos anos 60 e Teatro Silvio Santos em foto de 2009. Clique para ampliar


O Teatro aproveitava a estrutura daquela antiga sala de cinema que tanta diversão deu ao bairro do Carandiru. O prédio de 1956, com 1300 m² de área construída, na sua adaptação para estúdio de televisão passou a ter a seguinte configuração: 600 m² de área artística principal, com pé-direito de 12 m, sendo 9 de área útil; 2 estúdios auxiliares de 100 m² cada; 4 camarins (2 foram construídos numa reforma realizada em 1989); lanchonete; cozinha; toiletes e ambulatório. No piso superior estão duas salas administrativas; uma sala de produção, subdividida com divisórias; uma sala da presidência; switcher; central técnica e central de exibição unificadas; toiletes e um elevador adicionado na reforma de 1989.

Os pequenos estúdios auxiliares, posteriormente foram utilizados também como camarins. Ali devia ser a famosa "sala dos milagres", onde as colegas de trabalho que se davam mal na prova do xampu de ovo do Topa Tudo por Dinheiro ganhavam um trato para tirar a meleca.

Estas imagens ilustram a grandeza do palco do Teatro Silvio Santos


Ar condicionado, forração termo-sonora e saídas de incêndio também foram melhorias trazidas em 1989. E em 1993 nova reforma foi realizada para instalação de uma nova central técnica. Em 1994, era a vez das velhas câmeras azuis de tubo plumbicon RCA TK-46 darem lugar às Ikegami HK-377, ainda hoje utilizadas no estúdio 6 do CDT da Anhanguera.

Veja abaixo os croquis do Teatro Silvio Santos, com a indicação de todos os espaços do imóvel, em seu térreo e andar superior. Havia ainda mais um piso, no qual se localizava um terraço para as antenas e a lavanderia. Clique para ampliar.





No térreo está indicada a parte elétrica, que consiste nos rolamentos de ligação de força dos equipamentos fundamentais do estúdio da televisão, como VTs, dimmers, monitores, receptores, caixas, cenários com luzes, etc.

Ainda na parte técnica, o teatro contava com 8 canais de VT, sendo 5 usados pra câmeras (até 1986, eram 4 canais) e duas torres de som mono, condensadas na mesa para obter som estereo, trabalho a cargo dos sonoplastas Aguinaldo de Barros, Alfonso Aurin e Kenji Shibata. O som estéreo só viria nos anos 90, pois na época da instalação dos equipamentos era importado e caro.

Nas fotos abaixo, o repórter José Roberto Rocha mostra o auditório e o caminhão de externas (ENG) utilizado para a transmissão ao vivo no Teatro, que ficava estacionado na rua. Também há um flagrante da grua durante gravação do Viva a Noite e da técnica durante gravação da Praça é Nossa.


Adaptado e pronto para se transformar em palco não apenas para Silvio Santos, mas também para os programas de auditório da nova emissora TVS, Canal 4 de São Paulo, o antigo cinema de bairro com capacidade para 1.514 espectadores, contando platéia e balcão, viu seu balcão se transformar em central técnica de televisão e a platéia transformar-se em 300 moças e senhoras: o auditório mais feminino e animado do Brasil!



Uma das características do auditório era a sua decoração com luzes e círculos formando arcadas. Elas ficavam nos fundos e nas paredes, e eram marca registrada da presença de Silvio no meio das colegas de trabalho. Em alguns programas as luzes eram desligadas ou cobertas por tapadeiras com outros desenhos, como no Viva a Noite e na Praça é Nossa. Nos anos 90, as luzes foram removidas e deram lugar a desenhos geométricos ou a cédulas gigantes de dinheiro, no quadro Topa Tudo Por Dinheiro.



Em dias de gravação ou transmissão ao vivo, desde a madrugada a movimentação era grande nos arredores do Teatro. Ônibus desembarcavam as caravanas nas calçadas, caminhões traziam os cenários da Rua dos Camarés, onde se localizava o departamento de cenografia. Silvio Santos e os demais artistas e convidados entravam pela entrada dos camarins, pela Rua Azir Antônio Salton, uma estreita rua de paralelepípedos. Essa entrada, aliás, ficou conhecida em 1989, pois ali os repórteres ficavam de plantão para tentar entrevistar Silvio na saída das gravações, no auge da campanha presidencial na qual o Homem do Baú era candidato.

Não raras vezes a Rua Azir Antônio Salton e a Avenida General Ataliba Leonel eram interditadas para a realização de brincadeiras na rua. A área externa do Teatro era frequentemente usada em programas como Viva a Noite e Domingo Legal e também por Silvio Santos.

Para se ter uma ideia, o Papai Noel já desceu de helicóptero em plena Avenida General Ataliba Leonel, recepcionado por Gugu Liberato e Bozo em "A Descida do Papai Noel", especial exibido em 1982.

Memoráveis foram os desfiles malucos promovidos no Viva a Noite, as gincanas do Domingo Legal e as brincadeiras do Topa Tudo por Dinheiro. Aqui temos um bom registro de Silvio comandando uma prova do Topa Tudo por Dinheiro na Rua Azir Antônio Salton.

Pode-se ver a parede lateral do Teatro e uma pequena aglomeração de curiosos que teve a sorte de ver Silvio bem de pertinho. Na outra foto pode-se ver ao fundo a padaria Sol, localizada na esquina ao lado do Teatro, e onde funcionários, produtores, artistas e caravanas costumavam matar a fome.
















Em 1987 e 1988, a novela Carmem da Rede Manchete levou o Teatro Silvio Santos para além do SBT. Na trama, a personagem Creuza, vivida por Bia Sion, participou do Namoro na TV. Atores da novela fimaram com Silvio Santos no teatro junto de participantes reais e as cenas foram exibidas pela emissora concorrente.

Em 1989, o filme Os Trapalhões na Terra dos Monstros levou o Teatro Silvio Santos às telas do cinema. Cenas de um musical de Angélica ao lado de Gugu, bailarinas e auditório, no cenário do programa Viva a Noite, fizeram parte da história. Angélica fez o papel de uma adolescente que foi cantar no programa e participar do quadro do Sonho Maluco, desejando gravar um clipe com o Dominó na Pedra da Gávea. O Dominó também fez uma performance musical no palco, para o filme.



Uma perigosa aventura se deu quando Gugu e Thalia, acompanhados por um séquito de seguranças e produtores, saíram por uma janela do segundo andar do edifício para a marquise do Teatro Silvio Santos, a fim de acenar para a multidão que esperava ver a estrela mexicana. Por sorte, nenhum acidente ocorreu nessa arriscada experiência.


  O SBT cresceu e o Teatro Silvio Santos começou a ficar pequeno demais para as necessidades da emissora. Um antigo sonho começou a se tornar realidade: a unificação das unidades Vila Guilherme, Teatro, Sumaré e Anhangüera em uma só na Anhangüera, com a construção da Cidade da Televisão. Em 1996, no aniversário de 15 anos do SBT, o CDT foi inaugurado. O Teatro Silvio Santos aposentou-se como estúdio de televisão no ano seguinte, com o Concurso de Paródias, apresentado por Moacyr Franco.

Na sua fase final, o Teatro ainda serviu de palco para a estréia de Celso Portiolli. Depois de desativado, o Teatro Silvio Santos foi usado pra testes, inscrições e ensaios. No auditório o velho cenário losangular ainda está montado e as cadeiras estavam todas no lugar, exatamente como foram deixadas em 1997. Isso pôde ser comprovado em 2001, quando Roque foi entrevistado no auditório pelo programa Falando Francamente. No palco, está apenas um cyclorama branco (parede curva que dá impressão de fundo infinito).

 Recentemente o site São Paulo Abandonada, que registra prédios antigos na Grande São Paulo clicou o Teatro, mostrando que está bem conservado, inclusive ostentando em seu topo ainda o logotipo do SBT e uma nova pintura azul. Em 2011, o teatro passou a ser utilizado como depósito e loja de saldão do Baú da Felicidade. Com isso, as cadeiras do auditório foram removidas, talvez, para sempre.

VEJA FOTOS RECENTES DO INTERIOR DO TEATRO, AQUI.

 O Baú do Silvio homenageia, assim, todos aqueles que trabalharam ou freqüentaram o Teatro Silvio Santos, palco de grandes alegrias e emoções durante os primeiros 15 anos de SBT.

  Agradecimentos pelas imagens atuais do Teatro: Douglas Nascimento (site São Paulo Abandonada) Agradecimentos especiais pelas informações técnicas do Teatro: Carlos Guerra Miguel Duboviski Jr. atualizado e revisado em 14.7.2011.

20 comentários:

  1. caramba hamilton!!! parabéns pelo post!!! muito bem pesquisado, mto esclarecedor e mto curioso!! parabéns!! excelente!
    Abs
    Levy

    ResponderExcluir
  2. Olá Hamilton!!!
    Não sei se está lembrado de mim, sou a Bianka Araujo, conheço você através do blog do Igor C. Barros *lembra da Minerva Mink?*
    Bom...direto ao assunto...impressionate, eu pensava que ele já gravava os progarmas na Anhanguera..mas tudo bem...
    Pra transformar um cinema em um estudio deu muuuito trabalho com certeza, e me deu vontade de pesquisar sobre esse Cine Sol...
    Bom, é historico com certeza. Que bom que é bem conservado, pois existem vários lugares assim, que não estão nos melhores estados, ainda mais em São Paulo.
    Muito legal, e eu que não conheço muito esse mundo estou começando a adorar...
    Imagino que isso deve ter dado muito trabalho. Parece ser tão especial que eu nem sei se devia ter comentado aqui (qualquer coisa, eu apago).
    Mas ainda não entendi (lá vai eu): em que ano começou as gravações. Ou tenho a impressão de que o SBT/TVS começou junto com o teatro???
    Ai, desculpa as minhas besteiras...
    Abraços e parabéns...
    Bianka
    ;D

    ResponderExcluir
  3. Olá Hamilton! Parabéns pelo artigo e seu grande trabalho de pesquisa. Realmente são informações preciosas e inéditas! De qual vídeo são essas imagens do José Roberto Rocha? Um grande abraço e, novamente, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Bianka, as gravações como ele disse começou entre 1978 e 79...
    Mto bom o texto, parabens, passei recentemente pelo Cine Sol e vi que está bem conservado
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Smplesmente sensacional o post! Na minha infãncia, sempre ficava curioso em saber com era esse teatro! Você me ajudou a saciar essa curiosidade com esse brilahnte texto!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Hamilton,nota mil,voce sabe que varias vezes passo nso estudios da tvs atigo e tenho vontade de entrar,outro dia eu e o alex gill(polegar)fomos na porta da dona santa veloso e ficamos na calçada olhando e viajando ate quase chorando lembrando de uma epoca boa!!!se deponder da gente nunca ira morrer a memoria do povo abraços Ricky colavitto

    ResponderExcluir
  7. impressionante a riqueza de detalhes, mapas e informações deste Blog sobre o Teatro Silvio Santos.
    Me lembro até hoje na adolescencia quando a minha Escola participava constantemente de excursões aos programas do SBT, e era uma alegria quando os onibus da Itapemirim chegavam ao colégio para nos buscar e maior alegria chegávamos ao Teatro, era um local mágico , onde a fantasia tomava conta de nós, que nunca queriamos que terminasse no final das gravações. Quantas Saudades !
    Parabéns por esta matéria !

    ResponderExcluir
  8. Linda matéria sobre o Teatro Sílvio Santos, parabéns!!
    Gostaria de solicitar que fizesse uma também sobre os estúdios da Vila Guilherme, na memorável Rua Dona Santa Veloso...

    Obrigado e um forte abraço a você e a toda a equipe!!

    ResponderExcluir
  9. Sinto informar, mas os mapas do auditório no andar térreo nao conferem!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me passe as informações corretas, por favor.

      Excluir
  10. Bom, pelo que sei, a administração e a sala da presidência ficavam em uma casa ao lado do teatro, que hoje é uma espécie de "guarita" dos seguranças que vigiam o imóvel. E a parte de switcher/master era feita justamente pela carreta(ENG) mostrada na foto com o saudoso José Roberto Rocha.

    ResponderExcluir
  11. Estive lá no teatro em Março/2012, muito triste de ver os vidros paralelos ao palco quebrados com pássaros entrando e saindo. Conversando com o segurança lá ele me relatou quem logo após o fechamento do teatro, houve uma invasão e muitas coisas foram roubadas de lá como cabos e outras sobras que ficaram para trás.
    Depois disso, eles fecharam com tijolos todas as janelas e portas inclusive em cima da marquise, pintaram de azul a parte externa e colocaram um segurança 24hs.
    As portas de entrada do auditório estão velhas e enferrujadas fechadas com correntes e cadeados somente. triste!!

    ResponderExcluir
  12. Eu vi o predio no googlemaps e eu achei bem conservado,se eu fosse o Silvio Santos dava uma reforma no predio e fazia dele um espaco cultural

    ResponderExcluir
  13. Reginaldo A.Portella24 de janeiro de 2014 16:08

    O nome do cinema na R.Cotoxó, 1021, esquina com a Av.Prof.Alfonso Bovero, tinha o nome de "Cine Astral" !

    ResponderExcluir
  14. Pelas últimas informações, o Teatro foi novamente reformado e transformado em "estúdio-reserva" do SBT para qualquer eventualidade. Por incrível que pareça, SS ainda pensa em fazer algum programa naquele espaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade meu amigo esse Estudio da Rua Dona Santa Veloso, 575 - Vila Guilherme, São Paulo
      se transformou hoje na Igreja Biblica da Paz
      no youtube voce ainda acha o video do Estudio sendo demolido.
      Mais o importante é a Memoria que ainda esta viva e pulsa em nossos coraçoes!
      Vida Longa ao Silvio Santos!

      Excluir
    2. Anônimo de 29 de janeiro, você está confundindo o Teatro Silvio Santos (Av. Gal. Ataliba Leonel 1772, Carandiru) com o complexo de estúdios e administrativo do SBT que se localizava na Rua Dona Santa Veloso, 575, Vila Guilherme.

      A unidade Santa Veloso, que o SBT locava da Caixa, de fato foi vendida à Igreja Bíblica da Paz e o vídeo da demolição já foi postado neste blog. A demolição é apenas parcial, já que boa parte da estrutura original foi mantida.

      O Teatro Silvio Santos permanece ocioso e pertence ainda ao SBT.

      Excluir
  15. É impressionante saber como aquelas obras primas que o SBT produziu, sobretudo nos anos 80, saíram de um espaço tão pequeno como este. Muito legal! Parabéns pelo post. Continue colocando mais fotos se possível.

    ResponderExcluir
  16. uma curiosidade,aquela garagem que ficava na azir antonio salton em frente a entrada do estúdio e onde era montado o cenário da prova da banheira do gugu era do sbt ou emprestada?

    ResponderExcluir

Atenção:

Comentários anônimos poderão ser excluídos.

Os comentários são moderados. Os editores se reservam ao direito de excluir comentários ofensivos, injuriosos, agressivos ou não condizentes com a postura editorial e a proposta deste blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas