Este site é desenvolvido por entusiastas e admiradores do artista Silvio Santos e não possui nenhuma ligação com empresas do Grupo Silvio Santos.

21 de fev de 2009

Os 21 anos de um programa histórico - parte 3 (final)

por Jorge Luis Monteiro

Leia a parte 1 aqui
Leia a parte 2 aqui



Talvez o momento de maior emoção daquele programa Show de Calouros foi uma pergunta feita por uma telespectadora em casa. Ela perguntou o nome completo de Silvio. Ele respondeu, sem pestanejar, que se chamava Senor Abravanel. E contou, com a voz embargada, a história de seus antepassados e de Don Isaac Abravanel, seu 15º avô, em linha direta, um dos mais ilustres judeus portugueses do século XV – estadista, líder da comunidade judaica ibérica, filósofo e rabino cabalista nascido em Lisboa, cujos escritos são ainda hoje estudados, e renomado financista na corte de Isabel e Fernando de Castela. Devido a perseguições religiosas, Don Isaac Abravanel mudou-se em precário estado financeiro para a Grécia, apesar de a Coroa espanhola querer sua permanência. "Don Isaac disse não. O povo judeu vai, e eu vou junto", contou Silvio Santos. Nesse momento, o animador fez uma breve pausa e respirou fundo, pois estava a ponto de não se conter e chorar.



Na Grécia, Don Isaac se estabeleceu na região de Salônica, onde a família Abravanel fincou suas raízes. O título Don passou a ser um prenome de família, traduzido para Senor, passando de geração em geração. O avô de Silvio se também se chamava Senor. Em Salônica nasceu Alberto, que imigrou para o Rio de Janeiro, passou a frequentar a comunidade turca e conheceu Rebeca Caro, com quem se casou. Alberto e Rebeca são os pais de Silvio Santos.

Os fatos mais importantes do programa, sem dúvida, foram seus discursos políticos. Como já mencionado, Silvio estava temeroso em encerrar a sua carreira devido ao problema das cordas vocais, e acabava de voltar dos Estados Unidos, onde fizera tratamento e a cirurgia na garganta.

Totalmente só no hospital, Silvio chorou como uma criança, e refletiu. “Chorei porque vi que o povo me dá amor, carinho, tem admiração por mim, se preocupa com minha saúde. E eu o que faço por esse povo? Nada. Palhaçada aos domingos. Será que um homem 57 anos de idade, com maturidade, inteligência, não poderia fazer algo a mais por esse povo? Será que esse homem que tem uma rede de televisão não pode dar um pouco mais para esse povo do que o circo, no bom sentido?”

Sozinho, refletiu sobre si mesmo e fez comparações entre a vida dos americanos e a vida dos brasileiros. A começar pela sua própria condição, de paciente de hospital. "Aqui, antes de entrar num hospital, tenho que passar na tesouraria, e lá, não" - convém lembrar que, na época, o sistema de saúde nos EUA e no Brasil não era dominado pelas redes de planos de saúde. Algumas de suas constatações o deixaram bastante incomodado. "O povo lá trabalha como uma máquina, me fez lembrar aquele filme do Carlitos. Trabalha e tem comida, casa, educação para os filhos, médico, remédio... e aqui, dizem que nosso povo é indolente... mas é melhor não falar nisso"

Perguntado se ele iria pra política, Silvio respondeu: “Caso decida abandonar a carreira artística, estaria sim num cargo público pra dar um pouco de mim, retribuindo todo o amor que meu público me deu nesses 25 anos, e não vou abrir mão de cinco pontos de ação nesse sentido: comida, casa, educação, assistência médica e transportes”.

Mas Silvio foi contraditório. No mesmo programa, disse que se o demônio da política o atacasse, saberia exorcizá-lo. Na verdade, o Homem do Baú, sempre autoconfiante e seguro de si, estava fragilizado e indeciso a respeito de uma possível carreira política, além de se mostrar obcecado pelos cuidados de sua saúde.

E terminou o programa, às onze e meia da noite respondendo à jurada Aracy de Almeida: “Sou um homem que acredita na justiça divina, e que o bem sempre vence o mal. Se o mal vencesse o bem, não haveria razão para viver”. Veja abaixo:



O clássico programa teve uma repercussão enorme no pais todo, além de ter sido líder de audiência, derrotando o Fantástico da Globo, com 30 pontos e pico de 45 pontos. Além disso, a partir de então, os partidos e políticos influentes passaram a ver em Silvio “um novo Messias”, e flertaram com ele para que ingressasse na política. Mas isso é outra história.

Para saber mais sobre esse programa, leia o livro A Fantástica História de Silvio Santos, de Arlindo Silva. Editora do Brasil, 2001.

8 comentários:

  1. Não tem esse vídeo completo em algum lugar?

    ResponderExcluir
  2. Parabens Hamilton, os vídeos do Silvio me fizeram chorar, adoro esse cara e acho q ele deveria ser tese de mestrado em todas as faculdades do Brasil, ele é um fenômeno e eu tive a honra de trabalhar ao lado e de bater um papo com esse gênio da tv popular brasileira, parabens

    Abração

    Rhony Rays
    cantor do coral do Qual é a Música nos anos 80-90

    ResponderExcluir
  3. Esse programa foi simplesmente o melhor de toda a carreira do Silvio. Vendo ele, 21 anos depois, até dá pra achar um pouco de exagero nos pensamentos dele, que ele pode ter falado 'demais'. Mas, o estado emocional do Silvio estava totalmente abalado, com medo de perder a voz e com isso, sair da TV.
    Seria muito bom que todo mundo pudesse ver esses momentos e verificar que igual ao Silvio não tem.

    ResponderExcluir
  4. Luis Eduardo Souza Costa31 de maio de 2009 12:29

    Muito bom, parabéns. Eu me sinto um privilegiado porque assisti a esse programa ao vivo. Aliás, apesar de só começar a ter acompanhdo o Silvio a partir do final dos anos 70 (nasci em 74), tive sorte de ver as três maiores performances dele na TV (na minha opiniâo) : A sua participação no primeiro "A Praça é Nossa", em maio de 87; o clássico Show de Calouros de 21/02/1988 e a última edição da Casa dos Artistas I, em 2001.

    ResponderExcluir
  5. queria ver mais do programa! tem mais video???

    ResponderExcluir
  6. participei do programado bozo em 87 aproximadamente queria um site para procurar arquivo de video,meu email é dp_yahagi@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  7. ERNESTO , RADIALISTA RIO DE JANEIRO. POXA DEVERIAM FAZER MASI VIDEOS DESSE PROGRAMA. EU CHEGUEI AS LÁGRIMAS, SE HOJE SOU RADIALISTA É PQ EU TENHO SILVIO COMO MEU ICONE DE REFERENCIA. COLOQUEM OS VIDEOS TODOS POR FAVOR.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela postagem! Esse programa de 21/02/1988 foi simplesmente inesquecível, mostrou o Silvio em toda a sua genialidade! Ainda terei o privilégio de conhecê-lo pessoalmente, se Deus quiser.

    ResponderExcluir

Atenção:

Comentários anônimos poderão ser excluídos.

Os comentários são moderados. Os editores se reservam ao direito de excluir comentários ofensivos, injuriosos, agressivos ou não condizentes com a postura editorial e a proposta deste blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas