Este site é desenvolvido por entusiastas e admiradores do artista Silvio Santos e não possui nenhuma ligação com empresas do Grupo Silvio Santos.

14 de ago de 2011

SBT 30 anos - Top 8 reality shows

1. Casa dos Artistas (2001-2004)
Reality de enorme sucesso, conquistando a liderança de ponta a ponta aos domingos, a Casa dos Artistas, foi o primeiro reality de confinamento da TV brasileira, tendo passado à frente do Big Brother, na Globo, que pouco tempo antes havia sido oferecido ao próprio SBT. O carismático Supla, o brigão Alexandre Frota e a chorona e vencedora Bárbara Paz, tudo sob mediação de Silvio Santos, ditaram o ritmo daquele que pode ser considerado um dos maiores sucessos já realizados no SBT. Outras edições foram feitas, porém, sem tanto sucesso.

2. Popstars (2002-2003)
Os vencedores de realities musicais no Brasil raramente conseguem estourar nas paradas de sucessos. Ora, porque o mercado já está consolidado, ora por falta de apoio, ora porque emissoras rejeitam espaço a talentos revelados pelas concorrentes. Só que Popstars conseguiu quebrar essa regra. Em duas edições, revelaram os grupos pop Rouge e Bro’z, ambos com enorme projeção entre os jovens da época. Todos embalados pelo ritmo Ragatanga!

3. Supernanny (2005-)
Reality-show mais longevo da história do SBT, com cerca de 7 anos no ar, Supernanny virou sinônimo de boa educação infantil no País. A psicóloga, professora e educadora argentina Cris Poli foi selecionada para a condução do programa e soube imprimir um ritmo brasileiro ao formato inglês. Com o famoso lenço no pescoço e seu cantinho da disciplina conquistou o público, a audiência e o respeito de pais e filhos de todo o Brasil.

4. Esquadrão da Moda (2009-)
Com uma estreia tímida em 2009, o Esquadrão da Moda se tornou não só um sucesso comercial, como também um reality de boa repercussão e impressão na imprensa e junto ao público. Pesou nisso a afinidade da dupla de apresentadores Isabella Fiorentino e Arlindo Grund, que desenvolvem as mais variadas surpresas para os participantes que precisam dar uma nova cara em seu visual, muitas vezes, “cafona”. Para isso, a pessoa ganha uma quantia em dinheiro para renovar totalmente o guarda-roupa. O antigo? Vai pra lixeira.

5. O Grande Perdedor (2005)
Perder os quilinhos a mais e ainda ganhar dinheiro por isso. Era tudo que muita gente sonhava e O Grande Perdedor veio realizar. O reality foi apresentado por Silvio Santos, em 2005, com grande sucesso de audiência, porém com problemas sérios de faturamento por causa do nome. Dois anos depois, Lígia Mendes reeditava o reality, com o nome – corrigido – de Quem Perde, Ganha, sem repetir o sucesso da primeira edição.

6. Ídolos (2006/2007)
O formato do American Idol veio para o SBT no mesmo pacote que O Grande Perdedor, Family Feud e vários outros. Muito mais que despontar talentos da música, o programa revelou dois apresentadores que até hoje estão na ativa na casa (Beto Marden e Lígia Mendes) e os jurados Thomas Roth, Cyz Zamorano, Miranda e Arnaldo Saccomani viriam a ser uma parceria de sucesso em outros programas do SBT, como Astros e atualmente no Qual é o seu Talento?

7. Solitários (2010-2011)
Solitários não foi nenhum grande sucesso de audiência nas duas temporadas exibidas até aqui. Mas o formato é repleto de inovações, a começar pelo total isolamento dos participantes, passando pela inexistência de um apresentador até chegar num computador, chamado Val, que controla o que as pessoas devem ou não devem fazer na disputa. É nesse ambiente que se desenrola o Solitários, que tem em sua trilha sonora e na ironia de Val, os seus destaques.

8. O Conquistador do Fim do Mundo (2003).
A exemplo de Solitários, O Conquistador do Fim do Mundo também não foi sucesso. Mas o formato de aventuras lançou Celso Portiolli no seu primeiro reality na carreira e foi o primeiro desse gênero no SBT a contar com gravações no exterior. Era uma disputa entre participantes do Brasil, Estados Unidos, México, Chile e Equador, realizada na Patagônia, na Argentina. A meta era conquistar a cidade de Ushuaia, capital da Terra do Fogo.

Por José Eustáquio Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:

Comentários anônimos poderão ser excluídos.

Os comentários são moderados. Os editores se reservam ao direito de excluir comentários ofensivos, injuriosos, agressivos ou não condizentes com a postura editorial e a proposta deste blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas